Fator Digital - Performance e Resultados em Marketing Digital

SEO para Colégios e Faculdades: Guia de otimizações on-page

Você gerou links, promoveu peças e infográficos em redes sociais e construiu campanhas espetaculares ao longo de vários meses. Todas são grandes ações de SEO off-page que comprovadamente funcionam, mas por algum motivo o site não aparece nos primeiros resultados para os termos mais relevantes de sua faculdade ou colégio.

Qual o problema? Simples: A sua otimização on-page é que não está boa.

A otimização on page, ou seja, aquelas mudanças em títulos, meta descrições e outras pequenas mudanças técnicas deveriam ser os primeiros itens da sua checklist e, na realidade, são os ÚNICOS que você tem TOTAL controle na estratégia de SEO.

Abaixo listamos uma pequena checklist, detalhando cada um dos principais fatores que devem ser otimizados nos sites de colégios e faculdades.

Tag TITLE

A tag de título da página é uma das mais importantes, e deve ser construída com foco no conteúdo que está sendo citado na página e ter entre 60 e 65 caracteres em seu formato ideal. Geralmente é onde estão as principais palavras-chave e são os termos que aparecem nos resultados da busca, podendo aumentar a taxa de cliques quando bem escrita.

Como elaborar um bom título:

  • O título ideal deve ter até 65 caracteres,  que é o limite de caracteres que é exibido na página de resultados do google. Embora um título maior não vá prejudicar os rankings, pode reduzir a taxa de cliques no Google por cortar termos importantes.
  • Procure formas criativas de incluir palavras-chave relevantes no título, para deixá-lo com mais impacto. Porém evite inserir termos sem sentido, apenas para que apareçam.

 

Meta Descrições

A meta descrição é um trecho de cerca de 160 caracteres que resume o conteúdo de determinada página. Os usuários vêem essa descrição enquanto navegam entre os resultados de uma página de busca do Google. Tem pouco impacto no SEO, porém é crucial para melhorar as taxas de cliques nos resultados do Google.

Como elaborar uma boa descrição meta?

Assim como no título, é importante utilizar palavras-chave relevantes e específicas que encorajem o visitante a clicar no resultado no mecanismo de busca. E existe um número muito expressivo de sites que simplesmente não usam uma descrição meta exclusiva para cada página. Quando fazem isso, o Google tenta gerar uma descrição meta com base no conteúdo da página, e geralmente essas descrições são ruins e resultam em perda de muitos cliques relevantes…

Alguma dicas:

  • Mantenha-se dentro do limite de 160 caracteres. Qualquer coisa além disso será cortada e pode dificultar a leitura e o entendimento.
  • Insira palavras-chave mais específicas, da “cauda longa”, de forma criativa e através da construção de frases. Evite sair inserindo palavras-chave aleatoriamente.
  • Insira um call-to-action na descrição, adicionando frases como “leia mais”, “descubra aqui” e assim por diante. Isso pode impactar bastante na taxa de cliques.

Tags Header

Jamais ignore as tags de header (h1, h2, h3, etc). Elas são essenciais para uma estrutura SEO inteligente.
Em linhas gerais essas tags representam a organização do seu conteúdo com títulos estruturados de forma hierárquica. O uso delas melhora bastante a leitura do conteúdo, impactando positivamente em métricas como tempo de presença no site e taxa de rejeição.

Como utilizar corretamente as tags header?

  • Utilize apenas uma única tag H1 por página. Essa tag deve conter o título do post ou conteúdo exclusivo daquela página e deve ter a palavra-chave principal.
  • Essa regra não se aplica aos headers seguintes, como h2, h3 e assim por diante. Eles podem ter quantos forem necessários para apresentar seu conteúdo.
  • Inclua as palavras-chave que você deseja posicionar-se, em todos os headers.
  • O google entende as diferenças entre sinônimos, e isso ajuda a posicionar bem em termos diferentes como graduação e curso superior, sem precisar inserir múltiplos termos.
  • Enquanto estiver pesquisando palavras-chave para o conteúdo, você perceberá muitas perguntas comuns das pessoas no Google. Inclua esses questionamentos nos headers, pois responder essas dúvidas é uma estratégia muito amigável para o Google entender que você está dando respostas claras para as pessoas.

Tags ALT

Como fator on-page, as tags ALT são importantes aos olhos do Google. Na realidade, pense em como o Google poderia saber qual o conteúdo de uma imagem se não tiver alguma metadata em conjunto? A tag alt identifica o conteúdo da imagem e permite ao google ajudar no rankeamento, inclusive fazendo-a aparecer no Google Images.

Como elaborar uma tag alt adequada?

  • Evite simplesmente adicionar palavras-chave.
  • Seja o máximo descritivo possível. Por exemplo, se uma imagem tem como termo “pós-graduação EAD”, você pode usar uma tag alt como “A faculdade XPTO oferece a melhor pós-graduação EAD do Mercado!”

 

Densidade de palavras-chave

Como já falamos anteriormente, é importante evitar inserir palavras-chave de forma aleatória. O Google é capaz de identificar essa prática e até mesmo penalizar sites que a usam. A densidade de palavras-chave é uma forma de entender se você está usando keywords de forma exagerada no site. O cálculo é simples: divida a quantidade de vezes que a palavra-chave se repete no texto pela quantidade de palavras que existem na página.

Em linhas gerais você deve manter a densidade em cerca de 1%, talvez um pouco mais baixo. Ou seja, se você tiver 1.000 palavras na página, a keyword principal deve se repetir no máximo 10 vezes.

 

Links internos

Os links internos são muito importantes para o processo de SEO, pois facilitam a indexação do Google ao criar novos canais de entrada para determinadas páginas a partir de outras dentro do portal.

Agora vamos detalhar melhor o impacto deles na parte on-page do SEO:

  • Existe um conceito chamado de “link juice”, que é o “poder” que cada link traz para seu site. Como a maior parte dos links externos direcionam para a home do site, usar links internos para páginas diversas ajuda a “dispersar” esse link juice para o restante do site. Quanto mais as internas tiverem, melhores serão os rankings.
  • O google premia os sites que tem uma melhor experiência do usuário, e criar links internos melhora a usabilidade ao permitir ao visitante continuar uma leitura relevante através de outros conteúdos do site.
  • Reduzem a taxa de rejeição ao criar novas áreas para o visitante acessar. E uma taxa de rejeição baixa é um sinal positivo para o Google, que entende que seu site tem ótimos recursos disponíveis.
  • Uma forma de melhorar o rankeamento de páginas importante é linkar para elas usando a palavra-chave relevante. Por exemplo: Você quer fazer com que a página de “Pós graduação EAD” fique bem posicionada? Então crie links para ela usando a palavra-chave “Pós graduação EAD”.

Tamanho do conteúdo

Devido às estratégias de Inbound Marketing recentes, o tamanho do conteúdo se tornou extremamente importante como fator on-page para ajudar a página a rankear bem para determinadas palavras-chave (especialmente aquelas mais competitivas). Ter um texto com 300, 400 palavras já não é mais tão bom como era antigamente…

Como o conteúdo mais extenso ajuda?

 

  • Rankings melhores
    Essa é a parte mais óbvia, porém verdadeira. Se você analisar as páginas do seu site que já rankeiam bem para determinada palavra-chave, as chances são grandes de que sejam aquelas com mais conteúdo. Obviamente esse não é o único motivo para afetar o ranking, porém é um denominador comum.

    Isso não quer dizer que você deva simplesmente “inflar” os textos de palavras inúteis. O Google é inteligente e estará sempre privilegiando o conteúdo e estrutura que agradam os usuários. O objetivo é transformar o seu conteúdo em algo que adicione VALOR aos visitantes, algo que os façam ficar engajado com os textos e interessados com a leitura.

 

  • Adiciona Valor
    Ter bastante conteúdo qualificado em determinada página é algo que agrega valor aos olhos do Google e também do visitante. Como mencionado anteriormente, o objetivo é transformar seu site em um local de muita informação valiosa. Olhe a Wikipedia como exemplo e você entenderá a extensão dos artigos que estão melhor posicionados no Google…
  • Foca em palavras-chave da cauda longa
    Esse é, talvez, o benefício mais importante de adicionar mais conteúdo em suas páginas. Quanto mais extenso o conteúdo, maiores as chances de você ter bons rankings em termos da cauda longa, mais específicos.  Embora esses termos não costumem ter um volume de buscas muito elevado, eles atraem visitantes mais qualificados. Pense dessa forma: Se você conseguir bons rankings para 5 palavras-chave que tem 100 buscas por mês no Google, você poderá ficar bem posicionado e aparecer entre os primeiros resultados em cerca de 500 buscas por mês. 
  • Mas qual deve ser o padrão de tamanho para adotar em 2017?
    Depois de todos os meus argumentos você deve estar se perguntando: “Mas que tamanho deve ter o meu conteúdo?”. Uma sugestão para responder essa dúvida é olhar a quantidade de conteúdo que seus concorrentes digitais tem. Se todos os primeiros resultados para as suas palavras-chave tem páginas com 2.000 palavras, você deve considerar pelo menos esse volume para os seus textos. Mas é importante que você produza conteúdo que não seja apenas para preencher esse espaço. Se você não tiver material de qualidade para adicionar, não faça isso.

Uso do Schema.org

O Schema é, sem sombra de dúvidas, um dos métodos de otimização menos utilizados hoje em dia. Isso se deve ao fato de ele ser muito novo e porque muitas pessoas ainda não entendem exatamente o que é. Vamos aprender?

O Schema é uma sequência de códigos que pode ser inserido no site e irá ajudar o Google a entender melhor do que se trata seu conteúdo. Ele permite exibir o seu conteúdo de um jeito mais informativos nos resultados do buscador.  Por exemplo, dê uma olhada no resultado abaixo para “MBA Online”. Você verá alguns links que enviam o visitante diretamente para determinadas páginas do site:

Para entender um pouco sobre como utilizar o Schema no segmento de ensino, você pode dar uma olhada na documentação exclusiva para colégios e universidades aqui.

Você verá diversas opções para destacar informações, independente de ser um colégio ou universidade. Por exemplo, você pode destacar endereço do campus, prêmios recebidos, etc. O processo de implementação é bem intuitivo, porém necessário um conhecimento de HTML.

Recentemente o Schema.org anunciou que incluirá tags exclusivas para cursos de universidades. Isso é uma notícia ótima para o segmento de ensino superior, porém ainda está aguardando para implementação (você pode conferir de vez em quando aqui)

Velocidade do site

Esse é outro fator geralmente negligenciado no mundo do ensino superior. Se você acha que a velocidade do seu site não importa pois as conexões de internet estão cada vez mais rápidas, você ficará bem para trás da concorrência. A velocidade de carregamento do seu site não é apenas importante para o usuário (que tem grandes chances de estar acessando seu site de uma conexão lenta como o 3G), mas o Google agora está dando muita atenção para isso!

Como a velocidade afeta o site?
Imagine o seguinte cenário: Você está muito bem posicionado para as palavras-chave desejadas e potenciais estudantes estão acessando com frequência a landing page principal do seu curso, porém ela leva muito tempo para carregar… Quanto você acha que seus visitantes irão esperar? Com o concorrente a um clique de distância e com dezenas de opções disponíveis, por que você que eles DEVERIAM esperar?

Pense em quantas vezes você buscava algo no Google, com pressa, e acessou um site que aparentemente não carregava. Você clicava no botão “voltar” e ia para o próximo resultado, certo? Ao fazer isso, além de perder um visitante importante, o site aumentava sua taxa de rejeição, um processo que envia um sinal negativo para o Google de que seu site não é relevante para o seu público.

Algumas formas rápidas de resolver o problema de um site lento:

  • Uma boa hospedagem
    Uma das causas mais comuns para um site lento é uma hospedagem lenta. Se você está pagando uma hospedagem compartilhada barata, as chances são grandes de ela ser lenta e ter grande impacto no carregamento do seu site. Considere migrar sua estrutura para um servidor dedicado ou para um cloud como a Amazon AWS (nossa preferida!). Isso será um pouco mais caro, mas terá grande impacto na velocidade de carregamento do site.
  • Otimize as imagens e seus formatos
    Um problema comum no peso do site são imagens em formatos inadequados ou sem compressão. Verifique principalmente o uso de PNG, optando por gif e jpg sempre que possível. E utilize ferramentas de otimização para reduzir o tamanho de cada uma sem reduzir a qualidade.
  • Minificar HTML/CSS/JS
    Essa é uma mudança bem técnica, mas pode ter bom impacto no tempo de carregamento do site. No WordPress existem plugins que fazem isso automaticamente (W3 Total Cache é um deles). Se não estiver usando WordPress, faça contato com o desenvolvedor e peça para eles realizar essa “minificação”.

 

Marketing Digital para Instituições de Ensino

EAD: O FUTURO
DO ENSINO NO BRASIL
Um Ebook exclusivo para profissionais de marketing de instituições de ensino.
Um histórico do mercado de Ensino à Distância no Brasil e as principais tendências para o futuro, trazendo indicadores de comportamento do público e como se preparar para captar melhor os alunos.
BAIXE AGORA O EBOOK

Fator Digital

A Fator Digital é formada por uma equipe especializada, criativa e capacitada para executar projetos digitais com foco em resultados.
Atuação completa no planejamento de websites, portais e e-commerces e atuando ainda na gestão de campanhas online através do Google AdWords.